26 setembro 2018

[RESENHA] Proibido



   Autor(a):Tabitha Suzuma


Editora: Valentina


Número de páginas: 304


Ano de lançamento:2014


Sinopse: Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.Eles são irmão e irmã.Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


   
   
   Hey leitores inconstantes! Vamos a mais uma resenha? O escolhido da vez foi o livro Proibido da autora Tabitha Suzuma,então vem conferir! E era um livro que eu sempre ouvia falar e tinha vontade de ler,porém me faltava oportunidades,até que um dia eu vi ele disponível no Kindle Unlimited e não perdi tempo.

     Proibido é uma espécie de livro que deveria conter alguns avisos,pois realmente não se trata de uma leitura fácil em vários aspectos,seja pela carga emocional,seja pela questão liberal,todo contribui para que você e sinta envolvido pela história e tenha sentimentos contraditórios,a autora conseguiu criar um cenário familiar angustiante,devido a uma mãe negligente e desequilibrada e um pai inexistente e provavelmente esses elementos contribuíram para toda trama questão levantada no próprio livro.

Família: a coisa mais importante de todas. Meus irmãos podem me deixar doido às vezes, mas são meu sangue. São tudo que já conheci. Minha família sou eu. É a minha vida. Sem eles, eu caminho sozinho no planeta.

  Apesar do assunto ser  um grande elefante branco na sala que é incesto explicito,a autora retrata de uma forma suavizada até poética,apesar de toda a densidade do assunto,fazendo com que a construção do romance seja feita em ritmo aceitável,nada acontece de uma hora para outra.

“No fim das contas, é o quanto você pode suportar, o quanto pode resistir. Juntos, não fazemos mal a ninguém;separados, nós definhamos.”

   Outro ponto que precisa  ser comentado é a narração que é feita em primeira pessoa pelos protagonistas,Maya e Lochan,dessa forma além de ser possível de conhecer um pouco da personalidade de cada um é bom também ver os conflitos que cada um passa,Maya é apaziguadora e resoluta principalmente em relação no que sente pelo irmão,já Lochan é inseguro,deprimido,pode-se dizer que seu estado emocional é caótico,apesar de um bom garoto,principalmente para seus irmãos. 
.
O sentimento estava lá havia anos,se aproximando da superfície a cada dia;era apenas uma questão de tempo a  romper nossa frágil téia de negação,nos obrigando a enfrentar a verdade e reconhecer quem somos.Duas pessoas que se amam -Um amor que ninguém mais poderia compreender.

   Agora falando sobre o incesto em si contido no livro,não vou dizer que senti repulsa ou algo do tipo por dois motivos: eu sabia no que estava “entrando” quando iniciei a leitura e também porque acredito que a literatura é um campo aberto para ser  explorado diversos tipos de assuntos,por mais chocantes que eles sejam,mas isso não me impediu de refletir um pouco. O amor de Maya e Lochan seria algo considerado lindo se não houvesse o parentesco,e então me fez questionar até que ponto  o julgamento é algo necessário ou certo? Cada situação é uma situação,mas apesar de tudo nada justifica o incesto ser algo natural ou certo.

9 comentários:

  1. Oi Nayla, tudo bem? Esse é um livro que sempre quis ler mas infelizmente o preço nunca abaixou, acho o tema extremamente diferente e li alguns trechinhos da obra e cheguei a me emocionar. A autora em momento algum parece tratar isso como algo belo, é importante.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nayla!
    Proibido é um livro bem polêmico mas concordo com sua posição, a literatura está aí para que possamos discutir certas situações sem precisarmos vivenciá-las. É uma maneira de podermos ter a sensação de ter vivido e assim entender melhor e ter opiniões. E todo mundo sabe do que o livro se trata e sabe onde está se metendo quando começa a ler.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nayla.

    Adorei sua resenha, porque eu tenho o livro, mas ainda não li. Eu também acho que a literatura é um campo aberto para ser explorado e quem ler tem que está disposto a diversos tipos de assuntos, especialmente aqueles que chocam. Eu já adicionei na meta de leitura e quero lê-lo ainda este ano. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Não li esse livro, mas achei interessantes suas colocações sobre o incesto na história e confesso que fiquei curiosa para entender como ele é abordado.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é tão polêmico né? Nossa, tanta gente já falou desse livro e ele vive dividindo opiniões. Mas acho que isso precisa sim ser discutido e os livros tão ai pra levantar esses debates sabe.
    Adorei tua resenha!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom?
    Já li tantas opiniões sobre esse livro, tantas coisas controversas que ainda não dei uma chance a leitura. Confesso que não sei como vou lidar com a questão do incesto na leitura, mesmo que tratado de forma poética, então acredito que tenho que abrir mais a minha mente antes de iniciar a leitura. Enfim! Adorei sua opinião e questionamentos ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi.

    Toda resenha que leio deste livro todos falam dele como maravilhoso, mas sempre com essas observações. Confesso que jamais leria esse livro por conta disso e o receio de sentir repulsa e tudo mais. :( Mas gostei muito da sua resenha.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  8. Confesso a você que tenho esse livro ha um bom tempo, mas ainda não criei coragem de ler ele... Mas ler sua resenha me relembrou que preciso encarar o desafio, foi ótimo conhecer a sua opinião!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nayla!
    Eu li esse livro no começo do ano e entendo perfeitamente seus sentimentos! No começo foi muito difícil entender e conseguir passar pelas cenas, mas quando entendi comecei a ver com outros olhos. A autora me fez questionar o porquê de ser errado, é o que você disse, se não fossem irmão seria lindo, mas naquele ambiente familiar eu meio que consegui entender!! Mas é lindo, cruel e muito questionador.

    Beijokas

    ResponderExcluir

imagem-fundo imagem-logo