20 junho 2018

[RESENHA] O homem de giz

Autor(a): C.J Tudor
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 269
Ano de lançamento:2018
Sinopse:Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

    A resenha de hoje é do livro ganhador lá da enquete que eu fiz no Instagram (@leitura_inconstanteblog) O homem de giz que de cara chama logo a atenção pelo seu design com direito a capa dura e as folhas de introdução de capítulos pretas, lindo todo trevosinho do jeito que a gente gosta.

(...)a morte não passa de um sopro frio e distante. O melhor truque dela é fazer-nos pensar que não está lá. E a morte guarda uma imensidade de truques dentro da sua manga escura e gélida
      A premissa do livro é outro ponto muito favorável principalmente para aqueles que amam suspense, mistérios que surgindo conforme a leitura,narrado em tempo passado e presente, por primeira pessoa, a obra prende o leitor mesmo que o deixe com a visão dos fatos um tanto limitadas por ser primeira pessoa, isso acaba fazendo a gente questionar muito do que acontece.
(...)ser uma pessoa boa nada tem a ver com entoar hinos nem rezar a um qualquer deus mítico. Não é usar um crucifixo nem ir todos os domingos à igreja. Uma pessoa boa não precisa de religião porque está em paz consigo mesma ao fazer o que deve ser feito
   O outro ponto que me chamou atenção é que alguns pontos do livro se assemelha  muito as obras de Stephen King, mais especificamente IT- A coisa, quem leu esse provavelmente sabe ao que eu me refiro. A autora manipula muito bem a mente do leitor com aquele velho do jogo de aparências, ai o leitor acha que está no caminho certo para descobrir algo, mas acontece uma reviravolta ou uma revelação e isso vai por água baixo.
(...)O que nos molda nem sempre são nossas conquistas, mas nossas omissões. Não as mentiras; simplesmente as verdades que não contamos
  O que me incomodou muito é que a história poderia ter um final mais fechado, explicando um pouco melhor certa coisas que aconteceram, me pareceu que foi muito acontecimento pra pouco final.

(...)Ser um adulto é apenas uma ilusão. Afinal de contas, não tenho certeza se algum de nós realmente cresce.

  Enfim, o livro o homem de giz é aquele tipo de livro que vale mais a viagem da leitura do que o seu destino final.

10 comentários:

  1. Oi Nayla, tudo bem?

    Tenho visto muitos comentários positivos sobre este livro e estou bem curiosa. Mas, muitas pessoas exaltaram o mesmo que você, que o final poderia ser mais fechado. A edição está linda, essa capa é belíssima. Está na minha lista. Adorei sua resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Justamente este final meio que inacabado que tem me feito adiar a leitura. Adoro o gênero do livro, mas fiquei com um pé atrás em relação a isso.
    Bjos Rose

    ResponderExcluir
  3. Ola, tudo bem??
    Estou doida para ler esse livro, mas confesso que final sem final kkkk, me deixa meio tensa kkkkk, adorei a resenha!
    Beijus

    ResponderExcluir
  4. Oiii Nayla, tudo bom?

    Não sei se esse livro seria para mim, eu sou bem chata com finais, sempre espero por um final fechadinho, que responda à tudo, e fico bem desapontada quando percebo pontas soltas sendo deixadas pra lá em livros desse gênero. Além disso, apesar dos elogios sobre o contexto todo da história, te confesso qu a premissa não me chama muito a atenção, não sei bem porquê... mesmo assim, quem sabe um dia...

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu já tentei ler esse livro 2 vezes e quando consegui na 3, me decepcionei demais justamente com esse final aberto que foi deixado. Esperava muito mais depois de ter lido tantas recomendações positivas! Uma pena que o final também te incomodou.

    Bjs
    Blog Tell Me a Book

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu vi muitas pessoas comentando sobre esse livro, mas confesso que não pretendo ler. Não é um gênero que leio muito e a sinopse não despertou minha curiosidade. Além disso, saber que ele intercala entre passado e presente me desanima ainda mais, pois sempre acho que narrativas assim perdem o ritmo. Mas o que me deu a certeza de que não leria foi saber que em alguns pontos ele se parece com It. Se tem um autor que eu não pretendo ler nunca na vida é o Stephen King e qualquer coisa que remeta a obra dele eu já evito.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e fico feliz que, apesar da sua ressalva em relação ao final, foi uma boa leitura para você. Só vou passar a dica desta vez porque é um livro que não faz meu estilo mesmo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ah, pra mim esse tipo de livro que satisfaz mais durante a leitura não serve não... Gosto de finais bem explicadinhos, em que fico sem nenhuma dúvida. Sem final completamente fechado prefiro nem tentar ler.

    ResponderExcluir
  8. Olá! super concordo com você que logo de cara a capa chama atenção e já tem aquele ar misterioso rondando o livro haha.. O enredo não me interessou muito mas acredito que quem goste do gênero irá curti a leitura ainda mais por conter influencia do Stephen King! Obrigada pela dica!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu acho a premissa desse livro muito interessante e a edição parece estar bem caprichada, mas confesso que o desfecho com certeza me incomodaria, já que gosto de finais bem explicadinhos.

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    Eu já li diversas resenhas super positivas sobre "O Homem de Giz", realmente parece ser uma bela leitura. Essa edição já vi de perto e está bem caprichada. Parabéns pela resenha, ficou bem legal!
    Abraços,
    Yvens

    ResponderExcluir

imagem-fundo imagem-logo